MOMENTO MUSICAL DE ADORAÇÃO

sábado, 15 de agosto de 2009

UM MESTRE NO TECLADO

Eu conheço muitos musicos, amadores e profissionais, mas poucos dentre todos tem a maestria que o Pastor José Simões Filho têm na arte de tocar o teclao. Esse é sem dúvida um musico de alto nível, e o que é mais maravilhoso ainda, é um musico à serviço de Deus. Assista o video abaixo e constate por si mesmo que o que afirmo aqui é real. Esse video fora gravado em um dos cultos na congregação no bairro São Pedro 1, em Vitória, ES, e fora feito sem que o pastor José Simões Filho se desse conta que estava sendo filmaado! É a prova de que quem sabe faz bonito!!!
video

sexta-feira, 3 de julho de 2009

O QUE NOS É NESCESÁRIO PARA FAZER A OBRA DE DEUS


Queridos Irmãos internauta, não se pode fazer a obra de Deus de qualquer maneira, ou seja, relachadamente, sem um verdadeiro preparo digno do Rei que iremos representar.
O primeiro passo para esta tarefa tão importante é: Não ser somente chamado, mas também escolhido por Deus. Mateus 20. 16 p b. ( Muitos são chamados, mas poucos escolhidos. )
Segundo passo: Apresentar se para o trabalho, não tendo em que se envergonhar e aprovado. II Timóteo 2, 15: ( Procura apresentar-te a Deus aprovado, como Obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade. )
terceiro passo: Exercer o Ministério sem ser censurado.
II Corintios 6.3: ( Não dando nós escândalo em coisa alguma, para que o nosso Ministério não seja censurado. )
Quarto passo: Não ser medroso e nem covarde. Juizes 7. 3: (Agora pois, apregoa aos ouvidos do povo dizendo: quem for covarde e medroso, volte. )
Quinto passo: Ser vigilante. Mateus 26. 41. ( Vigiai e orai para que não entreis em tentação, na verdade, o Espirito esta pronto, mas a carne é fraca. ) Juizes 7. 6. ( E foi o numero dos que lamberam, levando a mão, a boca, 300 homens, e todo o resto do povo se abaixou de joelhos a beber ag)
Sexto passo: Ser exemplo dos fiéis. I Timóteo 4. 12: p b( Mas sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, na caridade, no Espirito, na fé e na pureza. )
Sétimo passo: Ter visão e humildade. I Samuel 17. 32. ( E Davi disse a Saul: Não desfaleça o coração de ninguém por causa dele: teu servo irá, e pelejara contra este Filisteu. )
Oitavo passo: Conscientização: estar ciente sem dúvidas.
I Samuel 17. 36 e 37. ( Assim feriu o teu servo o leão, como o urso, assim será este incircunciso filisteu como um deles, porquanto afrontou os exércitos do Deus vivo. Disse mais Davi: o Senhor me livrou da mão do leão e da do urso: ele me livrara da mão deste Filisteu. Então disse Saul a Davi: Vai-te embora, e o Senhor seja contigo. )
Nono passo: Resolução: Propósito com coragem. I Samuel 17.45. ( Davi porém disse ao Filisteu: Tu vens a mim com espada e com lança e com escudo: porém eu venho a ti em nome do Senhor dos exércitos, o Deus dos exércitos de Israel a quem tens afrontado. )
Décimo passo: Ação: Movimento, modo de atuar. I Samuel 17. 48 e 49. ( E sucedeu que, levantando-se o Filisteu e indo encontrar-se com Davi, apresou-se Davi, e correu ao combate, a encontrar-se com o Filisteu. E Davi meteu a mão no alforje, e tomou dali uma pedra, e com a funda lha atirou, e feriu o Filisteu na testa, e a pedra se lhe cravou na testa e caiu sobre o seu rosto em terra.).
Portanto prezados Irmãos, se vocês com isto estas realmente preparados e aprovados ! Vá faça a obra de Deus com amor, pois o senhor será convosco e terão muitos sucessos. Josué 1. 8 e 9.
Que Deus em Cristo abençoe a cada um.
José Simões Filho, pastor presidente da ADMCPT
Vitória ES Brasil




























domingo, 21 de junho de 2009

OS OBJETIVOS DA IGREJA DE CRISTO

Através da Bíblia, você descobre que a igreja foi fundada por Cristo, para cumprir as seguintes finalidades:



1°- EVANGELIZAR O MUNDO

A principal atividades dos Crentes é levar a salvação para os não crentes. Cristo, depois de completar sua missão na terra, declarou: “ É me dado todo o poder no céu e na terra” e em seguida estabeleceu uma missão aos seus seguidores. MT. 28. 19 e 20. É através da Igreja que o evangelho é pregado a todas as pessoas do mundo. Esta missão não foi dada aos Anjos e nem a um outro ser espiritual, mas ao Cristão.

2º- CULTUAR A DEUS

Os crentes se reúnem para cultuar a Deus RM. 12. 1 o culto é o momento de oração, louvor, adoração, estudo da bíblia e edificação dos cristãos.
No culto, todos os crentes podem se unir em oração, seja em petição, ação de graças e intercessão. Esta também é uma maneira de você louvar a Deus, estudar a bíblia juntos e sempre Deus há de acrescentar algo mais em sua vida espiritual, sendo aperfeiçoado para o desempenho do seu serviço e a edificação do corpo de Cristo, até que todos cheguemos a unidade da fé e ao pleno conhecimento do filho de Deus, a perfeita varonilidade, a medida da estatura da plenitude de Cristo. EF. 4. 11 a 13.

3º- PRATICAR A MORDOMIA CRISTÃ

Tudo o que você possui, não lhe pertence, SL. 24. 1. Pôr isso não tem mais o direito de fazer o que quer, Deus agora esta em primeiro lugar em sua existência. Isso inclui sua vida, seu tempo, seus talentos e suas finanças, você deve aplicar, na igreja, a sua vida, com o melhor dos seus esforços e dedicação, passar boa parte do seu tempo, a cultuar a Deus e servir na evangelização, empregar todos os talentos na igreja, para torna-la forte e vibrante, pagar os dízimos para que você seja abençoado e a obra de Deus tenha recursos suficientes para funcionar. ML. 3. 8 a 10, dar ofertas nos cultos “conforme a prosperidade” e segundo o que qualquer tem. I COR. 16. 2. II COR. 8. 12. E dedicar os seus bens ao Senhor, pois você Prestara contas a ele de tudo o que administrou nesta vida.

4º- SER-MOS ENSINADOS DA DICIPLINA E NORMAS DE CONDUTA CRISTÃ.
Ao fazer parte de uma igreja local, o crente disciplina-se e aprende a norma bíblica de conduta. Existe um padrão de vida exposta na bíblia e todos os crentes devem se Esforçar para vive-lo. Significa afastar-se da ignorância, preservar-se da corrupção e Ter todas as esferas da sua vida e atividades regulamentadas, dirigidas por Deus.MT. 5. 13 a 16 MT. 18. 15 a 17.

PR JOSE SIMOES FILHO

PASTOR PRESIDETE DA ADMCPT

ESTRANHA VOCAÇÃO

Recentemente estive em um culto missionário, onde a Palavra de Deus fora pregada poderosamente e lindos hinos foram entoados e narradas ali várias experiências missionárias. Até que a festa fora bonita.
Mas fiquei preocupado com um fato alarmante!Como facilmente pode ser comprovado nos seminários, muitos estão se preparando para irem ao campo missionário no exterior, onde concordo plenamente que almas estão carecendo da Palavra de Deus. Eu até louvo esse desejo de ir ao campo missionário no exterior. Porém, o que me preocupa é fato de que muitos estão preocupados com as almas que estão em outras regiões do planeta, e estão se esquecendo das almas que estão aqui mais perto de nós...

Na verdade. Não entendo a vocação missionária de alguém que não se importa com a salvação de seu vizinho, seu colega, seu amigo e até mesmo seu parente. Como posso me importar com almas de pessoas que estão no outro lado do planeta,outra cultura,outra etnia, se não me importo coma salvação de meu vizinho,que cresceu comigo,até mesmo estudou na mesma escola que eu,brincamos juntos na infância?De meu parente, a quem sou unido por laços sanguíneos?Pessoas que falam a mesma língua que eu, que vivem ao meu redor?
Acredito que esse pessoal que está ai, querendo ir para a China ou para o Afeganistão, fazer uma obra missionária que eu não entendo bem como poderá ser possível ser feita, ao passo que a obra aqui na vizinhança e na parentela dessa pessoa “vocacionada” está ai precisando ser feita. E com urgência
A não ser que talvez agora exista intercambio missionário na obra de Deus, tipo assim, “eu vou para o Afeganistão levar a Palavra lá, enquanto Deus trará um afegão para pregar para meu parente e meu vizinho aqui... Aquele tipo de coisa que lembra troca de favores, ou coisa parecida!

Será que estou sendo irônico aqui, ou estou apresentando uma realidade nua e crua, que aflige nossas igrejas, que acabam tendo que arcar com tais obras missionárias. Nos cultos missionários até são apresentados lindos relatórios, enriquecidos por experiências um tanto obscuras e duvidosas (outro dia ouvi um dizer que em um lugar onde ele foi como missionário, ele enfrentou uma bruxa que voava literalmente em uma vassoura piaçava. E os ouvintes deliravam ao ouvir a narrativa do “testemunho”)... Mas, como eu dizia, até que vemos a apresentação de lindos relatórios, e não que eu duvide, mas será que o relatório representa a verdade?
Se sim, ainda valerá à pena enviar esse pessoal que se esquece da salvação até da mãe, mas diz se importar com o pessoal do outro mundo cultural. Afinal, uma alma vale muito, e se o “vocacionado” foi lá e ganhou apenas uma, já está de bom tamanho.
E tem outra coisa... A maioria dos vocacionados dizem ter chamada para países de primeiro mundo, tipo EUA, Inglaterra, Itália, Portugal, Japão, Suíça, países tidos como paraísos fiscais, onde o dólar e o Euro corre solto. Na vocação dessa gente não existe chamada para África, China, Vietnã, Afeganistão, Índia, países onde a miséria cultural, econômica e espiritual estão lá, de forma marcante.

A questão que quero atingir aqui é essa: O que estamos pensando que é a verdadeira obra missionária? Alguma maneira religiosa de fazer turismo? Ou será que virou um maneira de fugirmos da obra de Deus em nossa própria terra natal?
Será que os chineses estão mais carentes da pregação da Palavra de Deus e da salvação do que o meu parente bêbado e viciado? Será que a macumbeira que mora ao lado de casa é menos carente da salvação que o afegão que está lá planejando algum ataque terrorista? Será que aquela antiga colega da escola, que vive agora na prostituição, precisa menos de salvação do que aquela mulher que se prosta diante de Maomé, lá na Índia?
A Bíblia me diz que todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus, de uma forma igual. E o IDE de Jesus é definitivamente para “TODAS AS CRIATURAS”, o que inclui os orientais, os africanos, os asiáticos, mas também o meu próprio povo.
Não quero desvalorizar a obra nos outros países, mas quero alertar para um fato que deveria ser observado pelo pessoal que envia esses “vocacionados” pelo mundo a fora... Se o vocacionado falhar na evangelização em meio de seu próprio povo, a quem o vocacionado é ligado desde que nasceu ele difilcimente será bem sucedido na obra nos outros meios culturais, em meio a outros povos.

Afinal, que tipo de missionário de fundo de quintal é esse que quer ir para o outro lado do planeta ganhar a alma de estranhos para Deus enquanto seus pais e seus irmãos estão ai, indo a longos passos para o Inferno?
Pastores, atentem a observar a conduta desse pessoal vocacionado com relação a sua própria gente. Já tem um tempo que um vocacionado desse me apareceu, querendo meu apoio para ir para Lisboa, “levar a mensagem de Deus aquele povo”.
Questionei a ele sobre a salvação da mãe dele, que tem problemas com bebida. Ele teve a capacidade de me dizer que “aquela ali Deus já tinha destinada a perdição e que pregar para ela era algo inútil”. Ele demonstrava “preocupação espiritual” pelos europeus e portugueses, enquanto condenava a mãe, que o gerou, ao inferno. Que sucesso missionário este “homem de Deus” poderia ter em Lisboa ou em qualquer outra parte do mundo?
Conheço um irmão, muito dedicado, que viajava para pregar o Evangelho. Ele estava numa aldeia indígena em Rondônia, e questionava com Deus a cerca de sua chamada, pois ele pregava tanto e ninguém decidia por Cristo, embora ele visse que as pessoas tinham vontade de se entregar. De repente, ali mesmo, Deus fala com ele: “Tu não verás uma única entrega enquanto você não evangelizar seus vizinhos lá em Vitória”. Somente depois de voltar a sua cidade, e evangelizar todos os moradores de sua rua, ele passou a ver sucesso na sua obra.

Em Atos 1.8b, é esclarecido que a pregação seguiria uma lógica: “e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra.”.
Isso que dizer que é vontade de Deus que se pregue na China, no Afeganistão, na Nigéria, Etiópia, Portugal, USA, em toda a parte. Mas se deve começar por Jerusalém, que representa a nossa própria comunidade. Se estendendo a Judéia, que representa nosso estado, e também a Samaria, que representa os demais estados de nossa nação, para ai podermos atingir com êxito os confins da Terra, as demais nações.
Seu vizinho, seu parente, seu colega de trabalho, seu amigo precisa também ser salvo. Não queira salvar um e deixar o outro. Não comece errado. Deus te fará estar na posição em qualquer canto do mundo. Eu até acredito que temos chamadas para outras nações. O que eu não acredito é em sucesso em outra nação se falharmos aonde vivemos. Ficaríamos sem referencia. O que diríamos lá?
Que estamos ali para levarmos a salvação ao povo dali enquanto deixamos o nosso próprio povo perecer?
Acorda vocacionado e acerta teu altar! Deus te ama, quer te usar, mas faça certo!
Essa história de que profeta de casa não tem honra não justifica o abandono dos teus entes queridos. Pregue para eles. Faz a tua parte, e Deus cuidará do resto!
Fazendo assim, certamente você terá maior chance de sucesso na obra missionária!

_____________________________________
Milton Rabayoli
pastor interino